fbpx

O que significa educação financeira e qual sua importância na vida das pessoas

educação financeira
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Infelizmente, a educação financeira é um tema pouco difundido no Brasil. Não vemos na escola e muito menos no ambiente familiar.

Com isso, chegamos na fase adulta sem saber lidar direito com as finanças: segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), cerca de 71% dos brasileiros possuem alguma dívida.

Com o avanço dos bancos digitais, criação do PIX, Open Banking, entre outras modernidades, mais do que nunca é preciso entender a importância da educação financeira, que vai muito além do que criar planilhas e cortar alguns gastos. Uma pessoa com uma boa fonte de renda, se não tiver noção básica sobre educação financeira, tem mais chances de se endividar do que alguém que recebe menos, mas que entende do assunto. E vice-versa.

O que é educação financeira?

Educação é o processo de aprendizagem, de aperfeiçoar as capacidades intelectuais e morais de alguém. Ou seja, a partir do compartilhamento de uma informação, além de experiências vividas, são transformados hábitos, comportamentos e valores de cada pessoa.

Então, a educação financeira, segundo a ENEF (Estratégias Nacional de Educação Financeira) e OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), pode ser definida como “o processo no qual os indivíduos melhoram a sua compreensão em relação aos conceitos e produtos financeiros, de maneira que possam desenvolver os valores e as competências necessários para se tornarem mais conscientes das oportunidades e riscos neles envolvidos e, então, poderem fazer escolhas bem informadas, saber onde procurar ajuda e adotar outras ações que melhorem o seu bem-estar. Assim, podem contribuir de modo mais consistente para a formação de indivíduos e sociedades responsáveis, comprometidos com o futuro”. 

Ou seja, ao contrário do que a maioria pensa, educação financeira não trata apenas de assuntos complexos, como investimentos. É um assunto que refere-se a situações cotidianas e à consciência de riscos e oportunidades sobre esse tema.

Qual a importância da educação financeira na vida das pessoas?

O objetivo da educação financeira é você lidar melhor com o dinheiro, e assim, passar cada mês sem aperto. Você consegue ter mais consciência sobre a gestão de suas finanças, ou seja, saberá como avaliar quais despesas afetam seu orçamento a longo prazo e como minimizá-los, como se precaver em casos de emergências, como poupar, etc.  

De forma resumida, a educação financeira é essencial para o avanço social e econômico de um país, pois assim, as pessoas sabem gerir melhor suas fontes de renda e evitam as dívidas. Além disso, pessoas educadas financeiramente estão mais preparadas para enfrentar desafios e obstáculos quando a economia do país está instável.

Entre os benefícios da educação financeira, podemos citar:

  • Uso consciente e melhor controle do dinheiro;
  • Evitar despesas inesperadas e consequentemente, a inadimplência;
  • Melhorar a qualidade de vida;
  • Se livrar das dívidas;
  • Maior conhecimento sobre as opções de investimentos;
  • Possibilidade de alcançar a independência financeira.

Dicas para um bom planejamento financeiro

Se conheça

Onde você quer chegar? Quais são os seus objetivos financeiros? Qual é o seu momento atual? Sabendo disso, fica mais fácil organizar e planejar seu orçamento financeiro para atingir seus objetivos.

Leia sobre educação financeira

Ao saber o seu momento e o seu perfil, o ideal é ler e estudar mais sobre educação financeira. Como é um assunto amplo, o ideal é ir aos poucos. Ou seja, não adianta nada ler tudo sobre investimentos, se o seu primeiro passo é sair das dívidas.

Saiba o quanto ganha e o quanto gasta

Pode parecer meio óbvio, mas organizar a entrada e saída de dinheiro é um passo essencial para ter um bom planejamento financeiro. Então, liste suas fontes de renda e seus gastos fixos, como água, luz, condomínio, compras parceladas no cartão de crédito, dívidas, entre outros. Dessa maneira, você conseguirá ter uma visão melhor dos seus gastos, o quanto você tem para investir e onde pode economizar mais.

Corte gastos desnecessários e quite suas dívidas

Falando em economizar mais, ao organizar seus ganhos e gastos, você consegue refletir qual gasto fixo você pode cortar para guardar mais dinheiro. Além disso, para quem tem dívidas, se possível, busque negociá-las para diminuir os juros e as parcelas.

Tenha uma reserva de emergência

Ao negociar dívidas e encontrar formas de sobrar dinheiro, é preciso criar uma reserva de emergência, para que você consiga lidar com imprevistos e evite fazer novas dívidas. O ideal é que a reserva seja no mínimo 6x o seu custo de vida mensal (gastos essenciais), e que fique em fundos de investimento com liquidez diária, sendo possível resgatar a qualquer momento.

Separe uma quantia para investir

Após ter uma boa noção de educação financeira, conseguir organizar as dívidas, controlar os consumos, comece a separar uma quantia para investir. Assim, será mais fácil para você alcançar as suas metas financeiras.

Como se educar financeiramente?

Existem diversas opções de cursos e livros, além de conteúdos gratuitos em canais como o Youtube. Você também pode contar com a Plano, acompanhando o nosso Blog e também agendando a primeira reunião online gratuitamente conosco!

Reproduzir vídeo

Aguarde enquanto nossa agenda carrega...em seguida, escolha uma data 😀